12:03

por fim, o que tem que ir
é de outro tempo
digo adeus
e uma dor estala


com sorte, o que é de vir
chega com carinho
diz olá
e se instala

00:06

e a fotografia inédita já parece envelhecida. é como se soubéssemos que o que estamos vivendo não é nosso. ou melhor, é... aliás, é só nosso. ninguém mais entenderia, caberia, toparia conviver. é como se não coubesse nesse tempo, nesse espaço. é como se estivéssemos perdidos nas galáxias que nos envolvem. sem saber em qual universo se completar. sempre fazendo tudo certo do jeito errado. e agora só nos resta aceitar: a gente se pertence.

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.